Repúdio generalizado nas redes: Celebridades expressaram indignação com estupro coletivo em Palermo

Em pleno feriado de segunda-feira, à tarde e no populoso bairro portenho de Palermo, um fato aberrante ocorreu, gerando comoção em todo o país. Uma jovem de 20 anos foi estuprada por um grupo de homens, a bordo de um carro em plena via pública.

Foram os próprios vizinhos que alertaram a polícia sobre o que estava acontecendo e, quando os policiais chegaram ao local, encontraram seis suspeitos, quatro dentro de um carro Volks Onsagen Gol branco e dois do lado de fora que faziam “sino”. Dentro do carro, os agentes também encontraram uma mulher de 20 anos, que estava semi-inconsciente.

No entanto, apesar do estado de choque da vítima, chegou a contar aos agentes que havia sido abusada sexualmente no interior do veículo por quatro dos homens antes de ser levada pelo SAME ao hospital Rivadavia, onde foi praticado o protocolo usado nesses casos e recebeu assistência psicológica.

O fato ultrajante ganhou tanta relevância nacional que eles começaram a espalhar os nomes dos atacantes, fotos e vídeos de suas contas do Instagram.

Várias celebridades se manifestaram sobre o assunto, todas pedindo justiça. Uma delas foi Calu Rivero – agora Dignity -, que é considerada uma das referências do coletivo de atrizes Argentinas por ser uma das primeiras a denunciar Juan Darthés. “Siguen eles continuam estuprando porque podem! Basta”, ela escreveu em sua conta Twitter ao lado de uma imagem dela gritando. E então, em outra mensagem, Ele acrescentou: “Não há estupro. O rebanho é um grupo de animais que andam juntos. Isso foi uma # violaçãogrupo . São HDP: filhos do patriarcado, Não animais”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.